Manual básico do vinho para iniciantes

Olá amantes e curiosos sobre vinho. Tudo bem com vocês?

Está adentrando agora no mundo dos vinhos, e deseja saber como apreciá-los, quais vinhos bons para quem está iniciando, e muito mais? Continua aqui, pois mostraremos agora um manual básico de tudo que você precisa saber sobre vinho.

História do Vinho

Não há um relato certo de como realmente ocorreu o surgimento do vinho, pois cada cultura fala dos surgimentos de forma diferenciada.

Por exemplo: os cristãos acreditam que foi através de Noé, que plantou um vinhedo e com ele produziu o primeiro vinho do mundo. Já os gregos acreditam que essa bebida é uma dádiva dos deuses… E assim por diante. Com esses relatos, do ponto histórico, é difícil afirmar realmente a origem exata.

O que realmente se sabe é que o surgimento do vinho é algo que  vem antes da escrita e que deve ter sido por acaso. Há boatos que o vinho se originou por meio de alguém que esqueceu um punhado de uvas amassadas em um recipiente, com isso, elas acabaram sofrendo uma fermentação espontânea. Há referências que indicam que onde se produziu o vinho pela primeira vez foi na atual Geórgia (antiga república Soviética, localizada mais ou menos ao norte da Grécia). Inclusive nesse local, há descobertas de grainhas de uvas que datam entre 8000 e 5000 a.C

Outro ponto importante a ser destacado, é que os egípcios, gregos e romanos, foram os grandes impulsionadores da cultura e do desenvolvimento da bebida. Datado em 3000 a.C, já haviam pinturas e documentos registrados do processo de vinificação detalhado envolvendo o consumo de vinho em celebrações e rituais. Registros de aproximadamente 5 mil anos.

Como Degustar

O início da degustação começa desde a análise visual do vinho. Para realizar o processo da análise, é necessário que o vinho seja decantado, ou seja, deve ser passado da garrafa para um recipiente de vidro onde as partículas sólidas serão decantadas. Caso após esse processo o vinho ainda estiver turvo, quer dizer que o mesmo ainda não está bom.

Após este processo, é necessário estar atento à intensidade da cor do vinho. No caso do tinto, uma cor intensa mostra maior qualidade. No caso do vinho branco, demonstra uma coloração dourada clara, o que quer dizer, que o mesmo está sofrendo uma oxidação – sinal de que a bebida não está tão boa.

No caso de descobrir a maturidade do vinho, é preciso atenção à nuance da bebida. Pois os vinhos mais envelhecidos tendem a demonstrar cores alaranjadas e acastanhadas. Já os mais jovens apresentam uma cor púrpura mais forte. Para finalizar, deve-se contemplar as lágrimas do vinho. Essas lágrimas são as gotinhas que escorrem pela taça; ou seja, quanto mais rápidas elas escorrem pela taça, menor é seu teor alcoólico.

Classe do Vinho e Teor de Açúcar

É indispensável classificar o vinho para a definição da graduação alcoólica e definição do estilo de bebida que será consumida. Os vinhos, no caso, são normalmente classificados pelo teor de açúcar e pelo teor de álcool. Por exemplo:

Vinho de mesa: possui gradação de álcool entre 10% a 13%, que varia entre finos, nobres, especiais e comuns.

Vinhos mais leves: possui gradação de álcool entre 7% a 9,9%.

Compostos: preparados com adição de produtos de origem animal, vegetal, óleos e outros tipos de ingredientes também. Possui gradação de álcool que varia entre 15% a 18%.

O teor de açúcar permite a modificação de acidez e amargor do vinho, quanto ao seu aroma, o que acaba influenciando na sensação de consumo. Por exemplo:

Vinho seco: possui cerca de 5g de açúcar por litro de bebida.

Vinho suave: perfeito para as pessoas que possuem o paladar mais adocicado, pois o mesmo possui cerca de 20g de açúcar por litro do vinho.

 

Tipos de Uva Para Cada Vinho

Outro ponto importantíssimo para você compreender mais na hora de escolher o vinho, é entender os tipos de uvas para cada tipo de vinho, o que faz toda a diferença na hora de escolhê-lo. Pois essa escolha influenciará diretamente no sabor final da bebida. Veja a seguir os tipos de uvas mais comuns em vinhos.

  • Cabernet Sauvignon: São as mais populares na produção de vinhos de mesa no mundo todo.
  • Malbec: Produzem ótimos vinhos frutados, macios e bem incorporados, é bastante comum nos vinhos argentinos.
  • Merlot: Semelhantes a Cabernet Sauvignon, entre seu sabor balanceado e suavidade. Com aroma frutado e bem sofisticado, é uma ótima opção de vinhos de mesa.
  • Pinot Noir: Suave e delicada. É uma boa opção para ser usada na elaboração de vinhos de mesa ou espumantes. É bem difícil ser cultivada, por isso, é uma uva capaz de desenvolver vinhos peculiares e extremamente saborosos.
  • Chardonnay: Considerada por muitos uma das mais nobres que existem para a produção de ótimos vinhos de mesa ou espumantes. A uva Chardonnay possui coloração branca e sabor seco. Opção ideal para vinhos brancos e champagnes.

Entender como é plantado e de qual país veio, também fará diferença no sabor da bebida; você pode conferir isso clicando nos posts abaixo:

Vinhos Mais Conhecidos e Como Harmonizá-los

O vinho pode ser classificado por diversos outro tipo de fatores, como: fino, de mesa, seco, doce, demi-sec, tranquilo, espumante, fortificado. Abaixo mostraremos melhor os diferentes tipos de vinhos entre espumantes, brancos e tintos e como harmonizá-los.

Espumantes

Na lista de espumantes, você verá:

Brut

Tipo de espumantes bem complexo, que possui excelente acidez, aromas de frutas secas e um leve toque cítrico. As uvas geralmente utilizadas em sua produção são: Chardonnay, Riesling, Pinot Noir, Semillon e Glera (Prosecco). Seu teor de açúcar não ultrapassa de 3,1g/l.

Você pode harmonizá-las com churrasco, feijoada, canapés, saladas, risotos neutros, frutos do mar.

Brut Rosé

Esse espumante é normalmente produzido apenas com uvas tintas. Apresentam frescor, baixo teor de açúcar que não ultrapassam 4,0 g/l, aromas intensos de cerejas rosas e violetas.

Você pode harmonizá-las com Bobó de camarão, camarão, salmão e pratos como feijoadas.

Moscatel

Esse espumante possui teor de açúcar bem mais elevado com 60,1%, com aromas de frutas como pêssego, abacaxi, maçã verde e lichia.

Você pode harmonizá-lo com pudim, panna cotta, sorvete de creme, patê de fígado de ganso e muitos outros tipos de sobremesas.

Brancos

Na lista de Brancos, você verá:

Chardonnay

Tipo de uva mais popular do mundo, que é produzida em diversas regiões. Possui um teor alcoólico que gira em torno de 3,5g/l, sendo considerado seco. Você pode harmonizar com queijos, massas de molho branco, risotos neutros, lombo de porco, camarão, filé de peixe grelhado entre outras gratinadas.

Sauvignon Blanc

São bem conhecidos por sua acidez, o que remete um excelente frescor e seus aromas minerais, vegetais e toques frutados que também variam de acordo com a região. Seu teor alcoólico pode ser encontrado nas versões seco de 4,0 gl; meio seco, meio doce ou demi-sec de 15,1g/l e doce ou suave de 25,1g/l.. Você pode harmonizar com peixes grelhados, frango assado ao molho de maracujá, lombo suíno, camarão com gengibre entre outros pratos com sabor mais intenso.

Moscatel

Bastante aromática e com bastante variações, pois produz vinhos secos raros e vinhos de sobremesa. Seu teor de açúcar pode ser seco, doces ou suaves, já os espumantes podem ser doces e frisantes. 

Você pode harmonizar com saladas, peixes leves sem molhos, frutas, salmão cru e pratos bem apimentados, até mesmo sobremesas com frutas frescas e secas.

Tintos

Na lista de Tintos, você verá:

Pinot Noir

Elegantíssima uva tinta originada na Borgonha, no norte da França. Seu teor de açúcar é seco e você também pode harmonizá-lo com massas, carnes não muito fortes e frutos do mar.

Merlot

Uva tinta aveludada nativa de Bordeaux, na França, sozinha ou mesclada com outras uvas, são macias, agradáveis, saborosas e convidativas. Seu teor de açúcar é no máximo de 4,0g/l. Seco. Você pode harmonizar com massa com molho de azeitonas, carne vermelha grelhada, caldos e cremes, pizza com coberturas à base de carnes.

Cabernet Sauvignon

Vinhos de altíssima qualidade, com teor de açúcar de 4,0g/l. Seco. Você pode harmonizar com churrascos, massa ao molho de funghi, carnes estruturadas, carnes com molhos vermelhos, queijos mais curados, entre outros.

Cabernet Franc

Apresenta menos corpo taninos, mais leveza e harmonia, com aromas de frutas tropicais. Seu teor de açúcar geralmente é de 4,0g/l. Seco. Você pode harmonizar com sabores mais frescos e terrosos como carnes de aves domésticas e de caça, vitelo, peixes de couro, embutidos finos e terrines típicas.

 

Com esse pequeno manual de iniciação ao vinho, você já consegue ter conhecimento específico sobre essa bebida que é paixão mundial. Se quiser ficar mais por dentro do assunto, convidamos você a acompanhar nosso blog. Até a próxima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Novidades Você gostaria de receber as novidades sobre vinhos, carnes e os melhores rótulos. Não Sim